You are currently viewing Revitalização do Centro do Rio

Revitalização do Centro do Rio

Comerciantes pedem choque de ordem, mais segurança e redução de impostos para que a região volte a atrair empresas, moradores e visitantes.     

 

Nesta segunda-feira (6), cerca de 60 empresários lojistas, proprietários de imóveis comerciais e moradores do Centro voltaram a se reunir com o novo subprefeito da região, Alberto Szafran, no auditório do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Rio de Janeiro – SindilojasRio. Neste encontro, que contou também com a participação do superintendente da secretaria estadual de Governo(SEGOV), Luiz Cláudio Vasques, foram discutidas as reivindicações contidas no documento entregue a Szafran, no dia 19 de janeiro passado, durante reunião na sede da subprefeitura, na Rua da Constituição.

O vice-presidente do SindilojasRio e presidente da Sociedade dos Amigos da Rua da Carioca – Sarca, Roberto Cury, abriu a reunião afirmando que, para promover a desejada revitalização do Centro, a prefeitura precisa criar condições que estimulem a abertura de lojas e, também, que beneficiem o comércio local já instalado, que luta para manter suas portas abertas. Cury pediu a atenção da prefeitura para o projeto previsto para recuperar a Rua da Carioca, que aguarda o aval da administração municipal para se concretizar, lembrando que o resgate de uma das ruas mais importantes da região beneficiará todo o entorno, incluindo a Praça Tiradentes.

A empresária lojista Maria Izabel Castro, uma das líderes do movimento pela revitalização do Centro, resumiu a atuação do grupo que, com o apoio do SindilojasRio e do CDLRio, tem se mobilizado, desde 2020, para cobrar das autoridades ações voltadas à recuperação comercial da região. Ela elencou os principais problemas do comércio, descritos no documento entregue ao novo subprefeito, reforçando que o Centro precisa de segurança, de um grande choque de ordem e de medidas fiscais que deem algum fôlego aos comerciantes. Maria Izabel também destacou que são crescentes as reclamações dos lojistas referentes ao excesso de exigências da fiscalização das obrigações acessórias sem a contrapartida necessária da prefeitura quanto à ordem urbana. Além disso, ela reforçou que o VLT continua a causar transtornos por causa de problemas em seu trajeto que dificultam a circulação tanto de carros como de pedestres principalmente. Aproveitando a presença do subprefeito e do superintendente do Centro, a empresária defendeu a urgência de uma ação integrada entre prefeitura e governo do estado para tirar do papel a Lei 9.722/2022, sancionada pelo governador em junho do ano passado, que institui o programa de recuperação do comércio e dos imóveis comerciais do Centro.

Luis Eduardo Carneiro e Fabíula Gonzalez, do polo das Confeitarias Tradicionais, e vários outros comerciantes da região também relataram situações e dificuldades cotidianas que vivem à frente de seus negócios. Para reiterar a necessidade da revisão urgente do IPTU, o empresário lojista Jorge Van Erven frisou que a recuperação econômica do Centro passa obrigatoriamente pela redução ou, até mesmo, pela isenção do imposto, para estimular a reocupação não apenas das lojas fechadas, mas, também, das inúmeras salas comerciais ainda vazias desde a pandemia.

Todos os empresários que pediram a palavra foram unânimes em apontar a falta de segurança, a desordem urbana – abrangendo ambulantes ilegais, população em situação de rua crescente, invasões e falta de conservação, de limpeza e de iluminação – e a pesada carga tributária como as principais causas dos problemas que enfrentam.

Já o superintendente da SEGOV, Luiz Cláudio Vasques, adiantou que a secretaria estadual da Polícia Militar, junto com o 5º BPM, responsável pela segurança da região, estão trabalhando para que o programa Centro para Todos, com foco na segurança pública, seja retomado em breve. Ele informou também que está em negociação uma parceria com os comerciantes, para que os lojistas possam ceder imagens de seus sistemas de vigilância, que mostram as entradas dos estabelecimentos e seus entornos, ao 5º BPM e a Polícia Civil, o que proporcionará maior alcance e agilidade da ação policial. Vasques se comprometeu ainda a atuar, no âmbito do governo do estado, pela regulamentação da Lei 9.722/22.

Após ouvir todos os relatos, o subprefeito do Centro se comprometeu a levar as demandas dos comerciantes relativas à diminuição dos impostos à secretária municipal de Fazenda, Andrea Senko. “Serei um defensor do empreendedor, do morador do Centro. Serei um defensor da justiça fiscal”, afirmou. Ele adiantou, sem dar maiores detalhes, que, a partir de 6 de março, a prefeitura retomará as operações do choque de ordem no Centro. Quanto às demandas pela ampliação das vagas de estacionamento e pela correção dos problemas viários ligados ao VLT, Szafran disse que as encaminhará à CET-Rio e à secretaria municipal de Transportes, respectivamente.

No encerramento da reunião, o vice-presidente do SindilojasRio, Roberto Cury, entregou a medalha comemorativa dos 90 anos da entidade ao superintendente da secretaria estadual de Governo, Luiz Cláudio Vasques, e ao subprefeito do Centro, Alberto Szafran.