O Comércio à espera do consumidor

O Comércio à espera do consumidor

Faltando poucos dias para o Natal, o comércio carioca ainda não sentiu o esperado aumento das vendas.

De acordo com o CDLRio e o SindilojasRio, que juntos representam mais de 30 mil lojistas, a expectativa de crescimento de 3% pode não acontecer e os principais motivos são a pandemia de covid-19, o desemprego e a queda na renda que estão afastando o consumidor das compras.

“Diante desse quadro, o consumidor está economizando nas suas compras, apesar das grandes promoções que os lojistas estão fazendo com descontos, planos de pagamentos facilitados, kits promocionais, liquidações, brindes, sorteios e lançamento de vários produtos. Também temos observado que as pessoas de menor poder aquisitivo estão perdendo o fôlego para consumir e isso vem influenciando fortemente as vendas”, diz Aldo Gonçalves, presidente das duas entidades.

De acordo com os lojistas, os presentes mais procurados até agora são roupas, calçados, brinquedos, bolsas e acessórios, celulares, perfumaria/beleza e bijuterias. A compra parcelada no cartão de crédito continua sendo a preferida pelo consumidor e o valor do tíquete médio dos presentes está em torno de R$ 110,00.