You are currently viewing Contas de água absurdas

Contas de água absurdas

Comércio do Centro do Rio se reuniu com o secretário estadual de Defesa do Consumidor em busca de solução para cobranças erradas e abusivas da Águas do Rio

O SindilojasRio recebeu em sua sede, nesta segunda-feira (29/8), comerciantes e administradores de imóveis do Centro para discutir os problemas que vêm sendo causados pela Águas do Rio, concessionária responsável pela distribuição hídrica da cidade, com o secretário estadual de Defesa do Consumidor, Rogério Amorim, e o deputado estadual Alexandre Freitas, autor da Lei nº 9.722/2022, que instituiu o Programa de Recuperação do Setor Comercial e dos Imóveis Comerciais do Centro da Cidade do Rio de Janeiro. Apesar de confirmar presença, a Águas do Rio não enviou representante.

Representando o comércio do Centro, Luiz Cláudio Vasques, abriu a reunião, elencando as principais reclamações apresentadas por comerciantes, proprietários e administradores de imóveis da região: cobranças abusivas feitas sem medição; discrepância de valores; contas exorbitantes de imóveis fechados e até mesmo com matrículas suspensas.

Lamentando a ausência de um representante da empresa Águas do Rio, mesmo após confirmação de presença, o secretário estadual de Defesa do Consumidor destacou a necessidade de adoção de medidas legais para evitar a disparidade das cobranças. Amorim reforçou que todas as empresas devem registrar suas reclamações no Procon-RJ, para que sejam tomadas as providências cabíveis. “Quanto mais casos forem registrados será melhor para gerar um procedimento administrativo”, afirmou.

Já o deputado Alexandre Freitas ressaltou que a resolução desses problemas que afetam o comércio junto à concessionária Águas do Rio é mais uma ação objetiva visando à recuperação econômica do Centro do Rio. Ele lembrou ainda que o governo do Estado precisa regulamentar a Lei nº 9.722/2022, que prevê redução de ICMS, entre outros benefícios, para o Centro.

Estiveram presentes lojistas dos diversos polos do Centro, como Saara, Confeitarias Tradicionais, da Praça XV, da Praça Mauá e do Rio Antigo. Administradores de imóveis como o Edifício Central, situado na Avenida Rio Branco, do Condomínio Cores da Lapa e da Sérgio Castro Imóveis, além do advogado Fillipe Maciel dos Santos e do vice-presidente de Administração do SindilojasRio, Salomon Mordokh, também participaram da reunião.

Na ocasião, o coordenador da secretaria estadual de Defesa do Consumidor, Alexandre Meireles, também presente, sugeriu que as empresas filmem os seus hidrômetros em dias sucessivos, por cerca de 30 segundos, ao lado da data de um jornal para evidenciar a progressão do consumo para, desta forma, comprovar e poder confrontar as cobranças indevidas. Ele orientou comerciantes e administradores de imóveis do Centro a encaminharem suas reclamações, com documentos e vídeos (se possível), para o e-mail [email protected] colocando “Águas do Rio – Polo Centro” no campo “assunto”.